Projeto Jandaíras realiza seminário em Recife sobre produção agroecológica e fortalecimento do empoderamento feminino

Compartilhar

Com o tema “Jandaíras: Mulheres e Saberes Tradicionais Transformando a
Sociobiodiversidade Nordestina”, o 1º seminário do projeto destacou a força feminina e de
seus saberes, transformando a sociobiodiversidade nordestina. O evento ocorreu no
SINDSPREV e Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE, em Recife, de 20 a
23 de fevereiro, e reuniu 150 convidados de 10 estados brasileiros.


Estiveram presentes, gestores públicos, representantes de organizações não
governamentais, pesquisadores, professores universitários, estudantes, agricultoras,
quebradeiras de coco babaçu, pescadoras artesanais, marisqueiras, catadoras de
mangaba, quilombolas, extrativistas, caatingueiras, fundo de pasto e indígenas.

Suyane Fernandes é coordenadora de captação de recursos do Centro de Estudos do
Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador e à Trabalhadora – CETRA, ela conta que foram
acompanhados três dos cinco grupos indicados pelo Ceará para participarem do seminário,
que é um processo de fortalecimento das ações juntos às mulheres de comunidades
tradicionais.


“Esse é o público do projeto PCTs, o Jandaíras é muito significativo de muitas formas pra
gente, ele representa a resistência, resiliência e comprometimento com a pauta de mulheres
agroecológicas e feministas que entendem a importância do seu papel na dinâmica
produtiva da vida nos territórios e fora destes. O evento foi o lançamento do projeto e
contou com diversas representações de secretarias do MDA que é quem aporta recursos no
projeto”, conclui.

O Projeto Jandaíras é uma iniciativa do Governo Federal, através do Ministério do
Desenvolvimento Agrário. O intuito é fortalecer a promoção da produção agroecológica e
empoderamento de grupos de mulheres pertencentes aos povos e comunidades
tradicionais da Região Nordeste e do Estado de Minas Gerais.


Cenário
De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), segundo pesquisa do Censo Agropecuário de 2017, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número de mulheres administrando propriedades rurais aumentou 38% em todo o País entre 2006 e 2017. Apesar desse avanço, elas ainda são minoria entre os proprietários: no Brasil, 19% dos estabelecimentos rurais têm mulheres como proprietárias, e em São Paulo essa proporção é de 13%.

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *