encontroI

Thibério Azevedo, Samara Lívia e Alexandre Greco*

Iguatu | CE

No primeiro dia (27) do Encontro Estadual de Comunicação, realizado pelo Fórum, comunicadores/as populares, agricultores/as, técnicos/as e jovens discutiram a atual conjuntura do país, em relação à democratização da comunicação. Facilitado por Mônica Mourão, o debate partiu da contextualização geral para a realidade do campo, através da fala dos participantes.

Posteriormente o grupo traçou o histórico do Fórum Cearense pela Vida no Semiárido, focando nas experiências de comunicação. A análise dos materiais de comunicação foi realizada, pelos grupos, em separado e compartilhada com o grupo maior. Na pauta das análises destacaram a necessidade de visibilidade das mulheres, negros, indígenas e lgbtt's

O Encontro Estadual de Comunicação faz parte de uma série de ações organizadas e incentivadas pela Articulação Semiárido Brasileiro (ASA), que visam fortalecer a comunicação da mesma. Nos próximos dias serão realizadas oficinas e outras discussões sobre comunicação popular, que culminarão num cortejo e na produção de uma carta política.

E o segundo dia do encontro estadual de comunicação seguiu com a mesa de debate sobre democratização da comunicação e legislação dirigida por Raquel Dantas e Monica Mourão (Coletivo Intervozes). A manhã contou com apresentação das experiências das rádios: Camponesa na região de Crateús e a rádio comunitária de independência. Colocando as principais dificuldades, os desafios, lutas e conquistas desses espaços que visam expandir a comunicação popular a liberdade de expressão e a veracidade das informações que chegam para informar e transformar.

Na tarde deste segundo dia do encontro foram realizadas oficinas temáticas e intercâmbios objetivando proporcionar interatividade, aprendizado e vivências das ações realizadas pelos grupos assistidos refletindo boas experiências da comunicação popular existentes no território.

encontroII

As oficinas foram bem plurais, teatro de bonecos, fanzine, confecção de instrumentos musicais, práticas de comunicação nas instituições, estêncil, comunicação alternativa e cordel. As práticas envolveram todos os participantes que, ao fim, apresentaram e avaliaram as oficinas com desfile de camisas e cartazes da oficina de estêncil, leitura do cordel composto em coletivo, apresentação musical oriunda da oficina de instrumentos e o teatro de bonecos que animou os participantes. Por fim, noite cultural com capoeira, dança clássica e um alegre forró pé de serra para comemorar os 13 anos do Instituto Elo Amigo.

O terceiro e último dia do Encontro Estadual de Comunicação começou cedo, com os participantes marchando rumo a uma praça próxima ao local do encontro. Dois repentistas esperavam o grupo e logo começou a rima e a cantoria, animando e acordando os que ainda estavam meio sonolentos.

Da praça o cortejo rompeu as ruas do centro de Iguatu, com cartazes, palavras de ordem e discursos acerca da importância da democratização da comunicação. Na praça central, os repentistas, novamente, criaram rimas e canções inspiradas na luta pela democratização e alusão aos 15 anos da ASA.

Na volta do cortejo os participantes aprovaram a carta construída durante o encontro e fizeram a avaliação do encontro junto com a escolha dos participantes do encontro regional, que acontecerá em fevereiro de 2015, no Ceará, com representações do Ceará, Maranhão e Piauí.

*Da rede de comunicadoras e comunicadores do Fórum Cearense pela Vida no Semiárido (FCVSA).

Fotos: Giuliane Cidade e Thiago Ramalho - Da rede de comunicadoras e comunicadores do Fórum Cearense pela Vida no Semiárido (FCVSA).

See too