Nos dias 25 a 28 de Março, a Caravana Agroecológica e Cultural das Juventudes do Nordeste - Rumo ao III Encontro Nacional de Agroecologia (III ENA), será realizada no Território do Araripe, no Sertão de Pernambuco. O objetivo é fomentar o intercâmbio de informações e experiências entre a juventude do meio rural questionando o modelo de desenvolvimento atual, além de criar um espaço onde as estratégias territoriais de fortalecimento das causas populares possam ser debatidas.
O III ENA, que tem como lema "Cuidar da Terra, Alimentar a Saúde, Cultivar o Futuro", é uma realização da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e está previsto para acontecer em maio deste ano na Bahia, na cidade de Juazeiro. A ANA quer dar continuidade ao debate sobre o fortalecimento da agroecologia no país e nessa terceira edição, visa também apontar a agroecologia como uma alternativa ao modelo hegemônico de desenvolvimento que se tem hoje em dia.
Por que interessa à sociedade apoiar uma estratégia de desenvolvimento rural com base na agroecologia e no fortalecimento da agricultura familiar e dos povos e comunidades tradicionais?. Este é o questionamento que serve de norte para as caravanas preparatórias para o III ENA e que servirá para a Caravana das Juventudes do Nordeste refletir durante sua realização. As denúncias serão focadas, em especial, contra o agronegócio, e como esse modelo está degradando as regiões em que ele é implementado pelos grandes latifundiários. No caso do Sertão do Araripe, onde acontecerá a Caravana das Juventudes, a Transnordestina é um exemplo de medidas tomadas arbitrariamente pelas instituições de poder que não beneficiam a população local, assim como o polo gesseiro degrada o meio ambiente e explora mão de obra.
Quem realiza: a Caravana Agroecológica e Cultural das Juventudes do Nordeste - Rumo ao III ENA, está sendo realizada pela Rede ATER NE e pela Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) e sendo organizada pelas organizações ASSEMA (Associação em Área de Assentamento no Estado do Maranhão), Caatinga (Centro de Assessoria e Apoio aos Trabalhadores e Instituições Não Governamentais Alternativas), CETRA (Centro de Estudos de Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador) e Centro de Desenvolvimento Agroecológico Sabiá. Todas essas organizações têm afinidades nos trabalhos com os jovens e reconhecem a importância de eventos como esse que acontecerá em Ouricuri e outras cidades do Território. Lá, cerca de 120 jovens são esperados para vivenciar quatro dias de experiências em diversos âmbitos do conhecimento. Cinco rotas de visitas à experiências serão vivenciadas durante a Caravana. Cada rota terá uma abordagem: a primeira tratará da questão da segurança alimentar e como ela pode ser alcançada com a prática agroecológica, dentro da perspectiva da convivência com o Semiárido; a segunda rota abordará como o trabalho e a gestão de atividades como o artesanato pode ser produtivo para as famílias agricultoras; já a terceira e última rota irá se encarregar de discutir os conflitos causados pelo agronegócio e a mineração e como eles afetam negativamente os agricultores e as agricultoras.
Preparação para o III ENA - a preparação para o III Encontro Nacional de Agroecologia também está na pauta da Caravana, que visa, mais especificamente, mobilizar os jovens e as jovens para ações sociais com o intuito de promover a prática agroecológica. Quer também estimular o debate sobre quais são os assuntos de interesse da juventude rural e o que eles e elas podem fazer a respeito, atuando como protagonistas políticos. A iniciativa das organizações em realizar esta caravana parte também do princípio de que a juventude rural requer um olhar mais diferenciado, pois o contexto em que estão inseridos faz surgir muitas especificidades que por vezes dificultam sua participação política no campo.

VejaTambém