Enviado por luisnassif, ter, 13/12/2011 – 23:00

Atualizado às 23:00

Conversei agora à noite com a Ministra Teresa Campello que explicou não ter a menor intenção de interromper a parceria com a ASA – que reputa uma organização séria e eficiente. Abaixo, a nota oficial do MDS sobre o tema:

O MDS REAFIRMA QUE NÃO HÁ RUPTURA DE PARCERIA COM A ASA/AP1MC

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) reafirma que não existe ruptura na parceria estabelecida com a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA) para a construção de cisternas.

Uma das prioridades do Governo Federal é garantir que os brasileiros das áreas rurais tenham acesso à água para consumo e para a produção de alimentos.

No Plano Brasil Sem Miséria, o programa Água Para Todos definiu a ambiciosa meta de atender 750 mil famílias rurais com água para beber no semiárido, até 2013, e de assegurar água para a produção agrícola de outros milhares de famílias.

Atingir este objetivo exige a reavaliação e a ampliação do arranjo institucional vigente até então, incluindo a formação de novas parcerias estratégicas entre diversos Ministérios, órgãos públicos, Estados, Municípios e organizações da sociedade civil.

O MDS reafirma a importância de todos os parceiros no sucesso desta agenda, visando ao atendimento integral das famílias que hoje não tem acesso à água de qualidade para manutenção de sua condição de vida.

O MDS está empenhado na preparação das condições de atuação para o próximo exercício, no menor prazo possível, dentro das novas regras que orientam a atuação de todas as unidades do Governo Federal no próximo exercício.

Em relação à AP1MC/ASA, o MDS reconhece e valoriza os resultados alcançados na construção de mais de 300 mil cisternas, numa parceria exitosa ao longo dos últimos nove anos.

Por Gustavo  Belic Cherubine

“Após oito anos de parceria com o Governo Lula, a decisão do governo federal, expressa pelo Ministério de Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS), de não mais renovar os Termos de Parceria com a Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA), pode levar ao fim uma das ações mais consistentes de garantia de água para as famílias do meio rural semiárido: o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC) e o Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2).”

“A argumentação é que a partir de agora o governo federal vai priorizar a execução do Programa, que integra o Plano Brasil Sem Miséria, apenas via municípios e estados, excluindo a sociedade civil organizada.” Nassif, neste exato momento, estão preparando severa reação à decisão equivocada da ministra Teresa Campello.

Segue abaixo a nota publicada ontem pela ASA, que explica o que está acontecendo.

Abraços, Gustavo Cherubine.

VejaTambém