A Assembléia Legislativa do Estado do Ceará realizou uma sessão solene na última segunda-feira, 5 de dezembro, em virtude dos 30 anos do Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador – CETRA. Na mesma ocasião, cinco pessoas receberam a Medalha Manuel Veríssimo por sua atuação histórica no semiárido cearense, na promoção da reforma agrária e na construção de um mundo mais justo e igualitário.

O agricultor Sebastião dos Anjos foi contemplado in memorian por sua atuação no sindicato de trabalhadores rurais de Quixadá, na região que hoje é o município de Choró, desde o final da década de 1970, além de ser personagem da primeira vitória jurídica do CETRA, a Fazenda Monte Castelo. Os outros homenageados são o professor e padre Manfredo de Oliveira, que representa a intelectualidade a serviço das lutas sociais, a ex-prefeita de Fortaleza –e primeira mulher no poder executivo de uma capital – Maria Luiza Fontenelle, por sua trajetória política, o poeta e músico Zé Vicente, que canta até hoje as lutas das famílias camponesas e a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA-Brasil) por sua intervenção no território construindo um semiárido de possibilidades

O nome da medalha é uma homenagem a Manuel Veríssimo, agricultor que foi cruelmente assassinado em Trairi-CE no caso do Assentamento Várzea do Mundaú, gerando uma comoção em todo o estado, acirrando os conflitos entre o governo da época e as CEB’s (Comunidades Eclesiais de Base) e interferindo diretamente para que aquele espaço fosse desapropriado.

A entrega dessa medalha em comemoração aos 30 anos do CETRA, além de homenagem, surge como um resgate da história da própria instituição e do Estado. Lançar olhares para o passado três décadas depois é reconhecer a importância da memória popular para construir as histórias futuras.

VejaTambém