O CETRA é uma organização de desenvolvimento, não-confessional (laica), não-partidária e sem fins lucrativos fundada em 1981 pelas mãos de militantes de vários setores organizados da sociedade civil, com perfil político caracterizado pela tradição de resistência ao autoritarismo unido à busca de novas formas de combater as dsigualdades e as injustiças sociais e contribuir para a organização social e política do povo excluído, de forma a romper com as relações de dependência criadas entre estes e outros setores sociais e permitir-lhes exercer plenamente sua cidadania. A instituição atua desenvolvendo ações de assistência social e técnica, intervindo na realidade e construindo novos saberes junto ao público de sua atenção, sendo que este é formado por famílias camponesas, trabalhadores e trabalhadoras rurais.

Natureza

apoio e assessoria a organização de trabalhadores e trabalhadoras, independente de sua preferência partidária, religiosa e pensamento filosófico, visando seu fortalecimento organizativo e o desenvolvimento humano integrado e sustentável.

Compromisso:

com os interesses da classe trabalhadora, defendendo os direitos humanos e a justiça de gênero e protegendo os recursos naturais através da construção de uma sociedade democrática, igualitária, justa e plural, visando o pleno exercício da cidadania de todas as pessoas.

Filosofia: 

1. Respeito e defesa dos direitos humanos;
2. Prestar serviços de assistência social e técnica gratuitos, buscando a organização social e o resgate da cidadania e da auto-estima de trabalhadoras e trabalhadores rurais, favorecendo a construção de conhecimentos, direitos e deveres de cidadania, buscando a dignidade humana e considerando a necessidade de romper com as relações de dependência e criar condições para construir processos criativos de superação da pobreza e da miséria;
3. Respeito e preservação dos recursos naturais e promoção de ações educativas junto à agriculturoras e agricultores familiares para criar condições sustentáveis, pacíficas e harmoniosas para a coexistência entre o ser humano e o meio ambiente;
4. Igualdade de direitos e deveres para homens e mulheres e justiça de gênero;
5. A questão de gênero como temática fundamental na integração das ações dos eixos para o desenvolvimento humano integrado e sustentável;
6. Trabalho junto a grupos de mulheres como primordial, buscando fortalecer sua organização e promover a igualdade de direitos sociais, políticos, econômicos e culturais;
7. Combate à violência sexual e doméstica contra mulheres, meninas e meninos, considerando esses tipos de violência como violação dos direitos humanos;
8. Desenvolvimento institucional ético, com compromisso social e responsabilidade para um desenvolvimento rural sustentável em todos os aspectos (social, político, econômico, cultural e ambiental), respeitando as especificidades locais;
9. Valorização da cultura e das potencialidades locais, dos recursos naturais e humanos, para que, a partir dos mesmos, se efetive o desenvolvimento local;
10. Ter a terra como fundamento principal para ações junto ao público-alvo e para a existência digna de pequenos produtores, agricultoras e agricultores familiares;
11. Construção de um mundo justo, democrático e solidário a partir de ações concretas – organização, formação e capacitação – que viabilizem a boa qualidade de vida das populações mais pobres através de experiências sócio-econômicas e culturais;
12. Luta por liberdades democráticas, promoção dos direitos humanos, defesa dos recursos naturais como fontes de vida, inclusão social das populações menos favorecidas, construção de novas relações de igualdade social, política, cultural e de gênero.