Agricultoras e agricultores acompanhados pelo CETRA participam do curso Geleias, Doces e Compotas, na Escola de Gastronomia Social, em Fortaleza (CE).

 

Miguel Cela

 

DSC 0244 1280x848

 

Quando chegamos a uma feira agroecológica e solidária, logo nos deparamos com os aromas, as cores e as boas conversas que embalam as praças e as barracas. São alimentos frescos e vindos direto dos quintais e cozinhas de famílias agricultoras que colhem beneficiam os produtos seguindo os princípios da agroecologia e depositando toda a coragem e amor.

 

E para que os produtos que chegam às feiras sejam cada vez melhores, os agricultores passam constantemente por formações e capacitações em manipulação de alimentos, precificação, produção. Uma infinidade de temáticas que envolvem desde o colher até a venda na feira. Um desses processos aconte4ceu em Fortaleza, entre os dias 05 e 06 de novembro: o Curso de Geleias, Doces e Compotas, realizado pelo CETRA em parceria com a Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco.

 

Ao todo, vinte e cinco agricultoras e agricultores das diferentes regiões de atuação do CETRA participaram da formação, ministrada pela professora Maninha Mezeses. Todas e todos os participantes integram a Rede de Feiras Agroecológicas e Solidárias do Ceará, vindos dos munícipios de Quixadá, Quixeramobim, Tururu, Itapipoca, Trairi, Sobral e Senador Sá.

 

DSC 0042 1280x848

 

Para Neila Santos, coordenadora do CETRA, o curso é importante para que as agricultoras e agricultores percebam as diversas possibilidades de beneficiamento das frutas. “Foi uma experiência muito significativa e todos os agricultores e agricultoras que participaram puderam perceber como eles podem diversificar o processamento dos frutos que têm na sua propriedade, com a composição de doces, geleias, compotas e outros alimentos que não necessariamente são doces. Acho que abriu na cabeça deles diversas oportunidades de aproveitamento dessas frutas”.

 

Além de possibilitar o aprendizado de novas técnicas, Neila pontua que o curso foi uma oportunidade de possibilitar o acesso das agricultoras e agricultores a um equipamento público: “Possibilitar o acesso dos agricultores a esses equipamentos públicos de qualificação da sua produção é muito positivo”, conclui.

 

Uma das participantes do curso foi a feirante e coordenadora da Rede de Feiras Agroecológicas e Solidárias do Ceará, Flaviana Lima, que comercializa, entre outros produtos, doces na feira agroecológica e solidária de Sobral. “O curso foi muito bom, de muita aprendizagem e com uma facilitadora nota dez”, conta. Segundo a feirante, o curso “nos proporcionou ter acesso a novas receitas e o aperfeiçoamento o nosso trabalho, já que muitos de nós que participamos já fazíamos doces para comercialização nas feiras”.

 

DSC 0043 1280x848

DSC 0084 1280x848

DSC 0099 848x1280

 

Mas não é só a qualidade dos produtos que vai melhorar. Flaviana fala que a oportunidade de aprender mais sobre as técnicas de produção que viu no curso fará sua renda melhorar: “a partir do curso, nossos produtos terão melhor qualidade e consequentemente nossa renda irá melhorar”.

 

Nos dois dias de curso, diferentes aromas subiam e se misturavam pelo ar. Entre os produtos aprendidos estão o doce de mamão em calda, o doce de maracujá em calda, o doce de goiaba em calda, o doce de abacaxi com coco, o doce de jerimum com coco, o doce de banana e o de casca de banana, a geleia de melancia, de abacaxi, de goiaba e de acerola, a compota de manga, o bolo fofo com cobertura de maracujá, um molho de manga, o chutney, e outras tantas delícias feitas com produtos que as agricultoras e os agricultores mesmo levaram de seus quintais.

 

DSC 0228 1280x848 1024x678

DSC 0162 1280x848

 

Mas os ensinamentos da professora Maninha Menezes vão para além das geleias, doces e compotas ensinados. Ela mostrou que com uma receita base eles podem aplicar para qualquer fruta que tiverem à disposição – e mesmo outros ingredientes, como a pimenta.

 

O curso é uma articulação entre CETRA e Escola de Gastronomia Social Ivens Dias Branco, através do projeto Dos Quintais Para as Feiras e projeto Rede de Feiras Agroecológicas e Solidárias. A atividade também conta com o apoio dos projetos Dom Hélder Câmara – PDHC e do Paulo Freire*.

 

 

* O projeto Dos Quintais para as Feiras é uma realização do CETRA com apoio da Manos Unidas; o projeto Rede de Feiras Agroecológicas e Solidárias é uma realização do CETRA, em parceria com a Rede de Feiras Agroecológicas e Solidárias do Ceará, Programa de Fortalecimento e Ampliação das Redes de Agroecologia, Extrativismo e Produção Orgânica (Ecoforte) através da Fundação Banco do Brasil (FBB), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Governo Federal; o Projeto Dom Helder Câmara é uma ação da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) com financiamento do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e executado no território do Sertão Central em parceria com o CETRA e o projeto Paulo Freire é uma ação do Governo do Estado do Ceará a partir da Secretaria de Desenvolvimento Agrário, executado no território de Sobral em parceria com o CETRA e com financiamento do FIDA.


projetos home pt

Políticas Públicas como D…

O projeto Políticas Públicas como Direito tem como principal objetivo promover processos de formação... Leia mais

Formação e Mobilização So…

- Cisternas de Placa   Construção de tecnologias sociais de acesso à água nos municípios... Leia mais

Juventude Comunica Direit…

O projeto Juventude Comunica os Direitos da Criança, do Adolescente e da Mulher tem... Leia mais