Texto: Francisco Barbosa

Fotos: Francisco Barbosa

 

Entre os dias 18 e 21 de fevereiro, acontece o 1º Encontro Estadual de Agroecologia e Socioeconomia Solidária, no Território de Sobral onde reunirá agricultores, agricultoras, jovens, representantes de povos indígenas e comunidades quilombolas de vários territórios cearenses. O evento é uma realização do Centro de Estudos do Trabalho e de Assessoria ao Trabalhador – CETRA e da Rede de Feiras Agroecológicas e Solidárias do Ceará e é fruto das ações desenvolvidas no que diz respeito à agroecologia, direito à terra, economia solidária, acesso a água de qualidade, convivência com o Semiárido, entre outros temas que são pautados nesses trinta e sete anos de sua existência.

 

O 1º Encontro Estadual de Agroecologia e Socioeconomia Solidária pretende unir as forças dos trabalhadores e das trabalhadoras do campo por um Semiárido ainda mais vivo e digno. Parte do processo da sua construção aconteceu ainda em 2018 com as realizações dos Encontros Territoriais de Agroecologia e Socioeconomia Solidária – ETAs nos territórios em que o CETRA atua: Sobral, Vales do Curu e Aracatiaçu e Sertão Central, este último também integra o Território do Maciço de Baturité. Todos os ETAs tiveram como tema “Agroecologia alimenta o mundo — no combate à fome e em defesa da democracia”.

No dia 27 de novembro foi realizada a segunda edição do ETA de Sobral. A programação contou com debates sobre as experiências de convivência com o Semiárido e sobre a possibilidade de um mundo agroecológico — sabendo que o Brasil está voltando ao Mapa da Fome (FAO/ONU). Já no dia 29 de novembro, foi a vez do Território do Sertão Central receber a sua 4º edição do ETA, realizado no Instituto de Arte, Cultura, Lazer e Educação – Iarte, em Quixeramobim . O Encontro reuniu agricultores/as e jovens de trinta e duas comunidades divididas nos territórios do Sertão Central e Maciço de Baturité. A programação contou com roda de conversa para debater o tema principal do Encontro; produção da linha do tempo do Território do Sertão Central com a colaboração dos agricultores e das agricultoras presentes; exposição das expressões que caracterizam o Território e muito mais.

 

Já nos dias 5 e 6 de dezembro foi realizado o 13º ETA de Itapipoca (CE). A abertura do Encontro ocorreu juntamente com a comemoração do aniversário de 13 anos da Feira Agroecológica e Solidária de Itapipoca. Após os “parabéns”, a programação continuou no CETREDI com mesa de abertura. A programação contou com a realização de intercâmbios de experiência nas comunidades Purão (Trairi) e Lagoinha (Itapipoca), Assentamento Novo Horizonte (Tururu) e Assentamento Várzea do Mundaú (Trairi); construção da linha do tempo do território a partir da realização dos encontros territoriais, dos cursos de multiplicadores em agroecologia, das feiras agroecológicas e dos intercâmbios de experiência.

 

Maria José Lucas de Sousa, 63, agricultora e moradora da comunidade de Purão, no Trairi foi uma das experiências visitadas durante os intercâmbios e falou sobre os benefícios de possuir uma cisterna de segunda água. “Receber a cisterna telhadão foi algo muito importante em minha vida, porque é a água que a gente tem pra cuidar da nossa plantação. As águas são muito difíceis, sabe? E eu tendo essa cisterna melhora muito a minha produção, e acredito que essas pessoas vão sair daqui com vontade de possuir uma cisterna de produção também”.

 

Vânia Alves Cunha, 36, agricultora, moradora da comunidade de mulatão, Itapipoca participou pela primeira vez de um ETA e conta como foi essa experiência. “Pra mim tá sendo uma experiência única. Muito importante porque eu nunca tinha participado. Eu achei importante porque conheci pessoas, novas experiências e como eu posso fazer o meu quintal, porque é isso o que eu planejo, porque já tenho muitas plantações e praticamente já participo da agroecologia, mesmo sem saber. E com a vinda do P1+2 eu pretendo expandir as minhas plantações e minha criação de galinha. E também pretendo participar das Feiras Agroecológicas e Solidárias”, e continua. “O que mais me chamou a atenção nesses dois dias de ETA foi o entusiasmo das pessoas”.

 

O 1º Encontro Estadual de Agroecologia e Socioeconomia Solidária acontece no Centro de Treinamento de Sobral – CETRESO e reunirá aproximadamente 250 agricultores e agricultoras, representantes de juventudes, quilombolas e povos indígenas de vários territórios cearenses. A programação contará com apresentações artísticas, intercâmbios de experiências, oficinas e plenárias.


projetos home pt

Políticas Públicas como D…

O projeto Políticas Públicas como Direito tem como principal objetivo promover processos de formação... Leia mais

Formação e Mobilização So…

- Cisternas de Placa   Construção de tecnologias sociais de acesso à água nos municípios... Leia mais

Juventude Comunica Direit…

O projeto Juventude Comunica os Direitos da Criança, do Adolescente e da Mulher tem... Leia mais