Texto: Francisco Barbosa com informações da professora Daniela Queiroz Zuliani

Fotos: Equipe Técnica do CETRA

Nos dias 28 e 29 de setembro, quarenta e cinco estudantes do curso de agronomia da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) participaram de aula de campo onde visitaram alguns sistemas agroecológicos de famílias acompanhadas pelo CETRA. De acordo com a professora Daniela Queiroz Zuliani, uma das educadoras que acompanhou a turma durante as atividades, a ação é uma oportunidade para que as/os estudantes verifiquem em campo o que se estuda em sala de aula.


Na sexta-feira, 28 de setembro, a programação contou com visita à área produtiva do casal Zé Júlio e Dona Tica. Logo em seguida, as/os alunas/os conheceram as práticas agroecológicas do agricultor experimentador e técnico do CETRA, Carlos Sérgio. As duas experiências estão localizadas na comunidade Vieira dos Carlos, em Trairi. O dia foi finalizado na comunidade Jenipapo, em Itapipoca onde a turma visitou a área produtiva da agricultora Maria de Fátima, mais conhecida como Fafá. No dia seguinte, a programação teve início com a visita à Feira da Agricultura Familiar de Itapipoca, em seguida, o grupo visitou o viveiro, espaço de experimentação agroecológica acompanhado pelo CETRA. O dia foi encerrado na área da família da Inácia e Manuel, também na comunidade de Jenipapo.

Para a professora, essas atividades são importantes para que as alunas e alunos vejam na prática o que é estudado em sala de aula. “Foi realmente uma verificação em campo de como o CETRA consegue colocar em prática alguns aspectos da metodologia camponês a camponês. A visita também serviu para entender os agroecossistemas como um sistema complexo, e de forma holística, entender os fatores determinantes, recursos e processos que acontecem nesses sistemas de base agroecológica .Verificar e vivenciar não só os aspectos técnicos agrícolas de hoje, mas também o lado social e os aspectos socioambientais das pessoas envolvidas”, afirma.

 

Daniela Queiroz Zuliani, também ressalta a importância dessas atividades para seus alunos devido ao grande número de estudantes que têm ligação com a agricultura. “Importante ressaltar que muitos de nossos estudantes são de regiões rurais, diria que quase 80% a 90% são filhos de agricultores ou são agricultores e, nesse intercâmbio de experiências, muitos se reconhecem como agricultores também. Além disso, é importante que os alunos entendam como se consegue fazer esse trabalho de acompanhamento, de incentivo e de estabelecimento de sistemas agroecológicos. Tudo isso fortalece o nosso curso de agronomia com ênfase em agroecologia. É possível, em pleno Semiárido, com escassez de água, produzir alimentos saudáveis com a base técnica da agroecologia”, finaliza.

A professora explica que, a disciplina de práticas agrícolas, que faz parte da grade curricular do curso de agronomia da Unilab, foi pensada para que fosse possível a integração do exercício prático com os conhecimentos adquiridos nas disciplinas teóricas e vice-versa. Nesse sentido, são ofertadas seis disciplinas de práticas agrícolas ao longo do curso e esta, em específico, trata de circuitos alimentares, troca, distribuição e comercialização de produtos da agricultura e a relação com as atividades não agrícolas na agricultura familiar camponesa.


projetos home pt

Políticas Públicas como D…

O projeto Políticas Públicas como Direito tem como principal objetivo promover processos de formação... Leia mais

Formação e Mobilização So…

- Cisternas de Placa   Construção de tecnologias sociais de acesso à água nos municípios... Leia mais

Juventude Comunica Direit…

O projeto Juventude Comunica os Direitos da Criança, do Adolescente e da Mulher tem... Leia mais